domingo, 5 de junho de 2011

DDS : A prevenção do dia a dia

  A prevenção de acidentes nos ambientes de trabalho, é uma preocupação que vem crescendo por parte das autoridades competentes e principalmente pelos governos regionais e nacional,  já que os trabalhadores que necessitam ser afastados por motivo de acidentes ou doenças relativas ao trabalho acabam sendo um peso para os cofres públicos, na verdade, talvez este é o maior motivo pelo crescimento da preocupação das autoridades por este tema, e assim aumentando a pressão para cima das empresas e empregadores de modo em geral, para que invistam, cada vez mais em ambientes de trabalho,  máquinas e equipamentos seguros.

Para nós prevensionistas, devemos aproveitar desta pressão aos empregadores para tentar implantar com cada vez mais força, a segurança no trabalho, e uma das ferramentas das quais podemos nos utilizar com cada vez mais frequencia é a DDS ( Diálogo Diário de Segurança ), ferramenta que pode evitar muitos acidentes de trabalho e a longo prazo doenças ocupacionais, e hoje muitas empresas acabam por desprezar esta ferramenta, por pensar que, pouquíssimos minutos da para das máquinas e do trabalho trará prejuízos pela perada da produção e não pensam que um acidente de trabalho com um ou mais colaborador ou até mesmo o avastamento por motivo de doenças ocupacionais do(s) mesmo(s) trará um prejuízo ainda maior pelo desfalque na equipe de trabalho.

 A DDS pode ser realizada a qualquer momento da jornada de trabalho, pode ser no início, durante ou ao término da jornada de trabalho, os diálogos são muitos rápidos, duram em média, no máximo 5 a 15 minutos, e podem ser realizados no próprio local de trabalho, sem ter a necessidade de deslocar os colaboradores para uma sala de reuniões, por exemplo.

Existem muitos temas que podem ser utilizados para a consientização dos colaboradores, estes temas podem variar de acordo com os riscos existentes no ambiente de trabalho onde será realizado a DDS, ou poderá ser escolhido um tema alheio, e estas micro palestras são realizados normalmente com um vocabulário o mais simples possivel, já que nos ambientes de trabalho podemos ancontrar pessoas de todos os tipos de cultura e escolaridade e o quanto mais simples forem as palavras maior será o entendimento por parte dos colaboradores, e maior será o sucesso da DDS na prevenção de acidentes e doenças ocupacionais.

<><> <><> <><> <><> <><> <><> <><>

Veja abaixo 10 dicas importantes para um bom DDS – Diálogo Diário de Segurança:

1. Tenha sempre em mente o objetivo do DDS: “Criar condições para que os trabalhadores possam trocar informações, apresentar idéias, comentar dúvidas e dificuldades relacionadas à Saúde, Segurança e Meio Ambiente”.


2. Considerando sempre as características do grupo, busque temas interessantes e atuais. Peça sugestões, pesquise na internet, jornais, traga “causos” interessantes. Use acontecimentos do dia-a-dia da equipe como algo ocorrido com familiares, no trânsito, fatos importantes divulgados pela imprensa, entre outros assuntos que possam servir de fonte de informação ao grupo.


3. Faça um DDS sobre o “DDS” explicando o seu objetivo e funcionamento. Deixe claro a importância da participação ativa de todos.


4. Incentive a participação do grupo, convidando-os a conduzirem o DDS. Você pode elaborar uma escala de rodízios, repassando essas dicas ao próximo coordenador. Combine com o grupo, dias e horários apropriados; planeje o local e o assunto a ser tratado.


5. Exponha o assunto de forma clara e com linguagem adequada, considerando o nível de entendimento dos participantes.


6. Em média utiliza-se 5 a 15 minutos para realização do DDS, podendo variar de acordo com o interesse do grupo, a importância do tema e a habilidade do apresentador que está coordenando.


7. Como o próprio nome já diz, o Diálogo Diário de Segurança é um instrumento recomendado para uso diário. Fica a critério do grupo, estipular a periodicidade mais apropriada para a utilização do mesmo.


8. Eventualmente, convide profissionais de outras áreas para falar sobre temas técnicos. Poderão ser convidados médicos, enfermeiros, psicólogos, engenheiros, técnicos, ou seja, pessoas que conheçam mais o fundo o tema a ser tratado.


9. Utilize os últimos minutos para conclusão da idéia inicial. Deixe aberto para exposição de idéias do grupo. Tenha cuidado com sugestões para que não tenha conotação de promessa, pois se a mesma não for cumprida o DDS (e até o próprio instrutor) poderá perder a credibilidade.


10. É importante registrar o DDS. Utilize os procedimentos da empresa, ou crie um procedimento próprio. Data, duração, local, assunto abordado, nomes e número de participantes, são dados que podem conter no registro. O registro possibilita o gerenciamento do DDS como ferramenta para a identificação de novos temas e dos temas já abordados, evitando a repetição dos mesmos. Também serve para acompanhamento da participação dos integrantes do grupo durante as reuniões.





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário